Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 FEMEH
 Diretório Central dos Estudantes - DCE/UFSJ
 Blog de Luiz Felipe de Alencastro
 CA de Filosofia - UFSJ
 CA de Psicologia - UFSJ
 CA Eng. Mecânica - UFSJ




Centro Acadêmico de História da UFSJ
 


Estatuto do Centro Acadêmico de História (CAHIS)

Publicação do Antigo Estatuto do Centro Acadêmico de História.
O novo estatuto com as devidas mudanças, votadas e aprovadas durante a assembléia do dia 27/10/2009, será publicado em breve.

 

ESTATUTO

 

ATO INSTITUTIVO:

 

Aos onze dias de abril de 2007, institui-se o Centro Acadêmico de História da Universidade Federal de São João Del Rei, em Assembléia Geral no campus Dom Bosco.

Nestes termos, segue o centro acadêmico de História, o presente estatuto. 

Estatuto:

Capítulo I – Da entidade

Art.1: O centro Acadêmico de História (CAHIS) da UFSJ, fundado em setembro de 2004, com sede e foro na cidade de São João Del Rei, é uma entidade supra-partidária e sem fins lucrativos

1° - o CAHIS é o órgão representativo dos estudantes de graduação em História da UFSJ

2° - o CAHIS é regido pelo presente Estatuto e por leis que e forem aplicáveis, uma vez referendadas em assembléias.

3°- o CAHIS reconhece o Diretório Central dos Estudantes, modelo DCE-CEB(DCE) da UFSJ como entidade legítima de representação do corpo discente desta Universidade.

 

Art.2: o CAHIS se propõe a:

 

a)     Representar o corpo discente do curso de História, mantendo a unidade em torno da solução de seus problemas;

b)     Promover a defesa dos interesses dos alunos em suas relações com a Coordenadoria, Departamento(DECIS) e Colegiado.

c)      Cooperar com o corpo docente e de funcionários na solução de problemas referentes ao ensino;

d)     Despertar e incentivar a postura crítica dos estudantes para com a realidade social;

e)     Promover o desenvolvimento cultural, social e técnico científico do corpo discente;

f)       Promover e incentivar relações do corpo discente com os demais universitários, assim como colaborar com as outras entidades estudantis;

g)     Lutar pelo ensino público e gratuito no país;

h)     Manifestar-se publicamente, sempre que se fizer necessário em nome dos alunos da História.

 

Art.3: Para tornar efetivo o enunciado no artigo anterior, o Centro Acadêmico de História encarregar-se-á de:

a)     Colaborar para a promoção manutenção das questões de natureza esportiva, educacional e cultural.

b)     Apoiar e incentivar a participação de representantes nos órgãos colegiados do curso de História e da UFSJ.

c)      Fica reservada a liberdade de cada gestão em organizar a própria estrutura administrativa de acordo com sua realidade, como visto na alínea A.

 

Capítulo II – Dos Sócios

Art.4: São sócios do Centro Acadêmico de História todos os que pertencem ao corpo discente de graduação os alunos matriculados regularmente no curso de História da Universidade Federal de São João Del Rei.

Art.5: São direitos dos sócios:

a)      Votar e ser votados, conforme as disposições do presente Estatuto;

b)     Participar de todas as atividades promovidas pelo CAHIS;

c)      Reunir-s e manifestar-se nas dependências do CAHIS, bem como utilizar-se do seu patrimônio para realizar e desenvolver qualquer atividade que não contrarie o presente estatuto.

d)     Ter acesso aos livros e documentos do CAHIS;

 

 

Art.6: São deveres dos sócios:

a)     Cumprir e fazer cumprir o estabelecido no presente estatuto, bem como as deliberações das instâncias do CAHIS;

b)     Lutar pelo fortalecimento da entidade;

c)      Zelar pelo patrimônio moral e material da entidade

d)     Excrcer com a dedicação a função na qual forem investidas no CAHIS

 

Art.7: Os sócios que infringirem os preceitos estatuários estarão sujeitos às penalidades:

a)     Destituição de função

b)     Suspensão

c)      Expulsão



Escrito por cahisufsj às 00h26
[] [envie esta mensagem
] []





1° - No caso de alínea A, a destituição será decidida por maioria absoluta dos membros do Centro Acadêmico de História, e se necessário, convocação de Assembléia Geral.

2°- As penalidades previstas na alínea B e C implicam respectivamente na perda temporária e definitiva dos direitos expressos no artigo 5°.

3° - No que se refere ao parágrafo anterior, a decisão caberá ao CAHIS e se necessário for, será convocada a Assembléia Geral.

 

Capítulo III – Organização e funcionamento da entidade

Art.8: A base da organização e funcionamento do centro acadêmico de História está na participação ativa de seus membros, através dos seguintes órgãos:

a)     A assembléia geral;

b)     Diretoria;

c)      Conselho Fiscal;

 

Seção I – Assembléia Geral

Art.9: a Assembléia Geral é a instância máxima de deliberação do Centro Acadêmico

Art.10: A Assembléia Geral:

a)     Constituída por todos os sócios do CAHIS não atingidos pelos incisos do artigo 8°;

b)     Instalar-se-á por requerimento de,no mínimo, 5% dos sócios da diretoria,que deve proceder imediatamente à convenção;

c)      Instalar-se-á ordinária ou extraordinariamente;

d)     Será presidida pelo presidente do CAHIS ou por seu substituto legal;

 

Único – Toda assembléia será convocada através de editais e cartazes afixados no campus do referido curso e na sede do CAHIS, que mencionarão data, local e pauta.

 

Art.11: Se o curso de História for oferecido em dois períodos, a Assembléia geral se realizará em duas sessões, diurna e noturna.

Tópico Único: Para efeito de quorum e decisão, será considerada a soma dos presentes nas duas sessões;

Art.12: São atribuições da Assembléia Geral:

a)     Aprovar seu regimento interno;

b)     Aprovar a reforma do Estatuto;

c)      Deliberar sobre a aplicação das penalidades previstas no artigo 8°;

d)     Deliberar sobre medidas de interesse dos sócios;

e)     Deliberar sobre os casos omissos no presente Estatuto

f)       Revogar a decisão da Diretoria

 

Único: No que se tratam as alíneas B,C,D e G serão necessárias à presença no momento da votação, do pelo menos 5% dos sócios.

 

Art.13: As deliberações da Assembléia Geral se darão pela maioria absoluta dos votos.

Único: No que se tratam as alíneas, B, C, D e G do artigo 13° as deliberações da Assembléia Geral se darão pela maioria absoluta dos votos.

 

Seção III – Diretoria

Art.14: A Diretoria do Centro Acadêmico de História poderá ter o número de membros que julgar necessário para o desempenho de suas funções com um mínimo de 6 pessoas

Art.15: Cabe à Diretoria:

a)     Gerir a entidade;

b)     Cumprir e fazer cumprir o presente Estatuto bem como divulgá-lo entre os sócios;

c)      Cumprir sua carta-programa;

d)     Respeitar e encaminhar as decisões das instâncias do CAHIS;

e)     Planejar a vida econômica da entidade

f)       Convocar a Assembléia, nos termos do artigo 11°, alínea A;

g)     Designar,dentre seus sócios, os membros da mesa de cada Assembléia Geral;

h)     Designar, dentre seus sócios,representantes da Entidade nas atividades em que o CAHIS se fizer presente e designar um representante jurídico de cada gestão

i)       Apresentar relatório de suas atividades e balanço no término do mandato

j)       Afixar informativos referentes às reuniões do Conselho de Entidade de Base(CEB).



Escrito por cahisufsj às 00h25
[] [envie esta mensagem
] []





Único: Os membros da diretoria serão compostos pelos tópicos abaixo, podendo-se criar novos cargos de acordo com a necessidade de cada gestão:

Presidente;

Vice-Presidente;

Tesoureiro;

2° Tesoureiro;

Secretário;

2° Secretário

 

1- São deveres do Presidente

a) Representar o CAHIS em todos os seus atos,ativos ou passivos, em juízo ou força dele e cumprir e fazer o presente estatuto;

b) Convocar e presidir as reuniões da Diretoria Executiva e da Assembléia Geral;

c) Rubricar os livros do CAHIS nas páginas referentes à sua gestão;

d) Assinar, juntamente com o secretário executivo, as atas das reuniões da Diretoria Executiva e das Assembléias Gerais;

e) Autorizar e se responsabilizar, juntamente com o tesoureiro, das despesas ordinárias do CAHIS;

f) Coordenar as representações dos alunos junto aos órgãos de Administração Universitária;

 

2- Ao Vice-Presidente compete:

a)     Substituir o Presidente no impedimento deste;

b)     Auxiliar o Presidente em suas funções

c)      Coordenaras atividades políticas do CAHIS, bem como as delegações de sócios em Encontros, Congressos e/ou seminários;

3-  Ao primeiro Secretário compete:

a)     Substituir o Vice-Presidente em seu impedimento;

b)     Colaborar com o vice-presidente em suas funções;

c)      Providenciar sobre o encaminhamento de assuntos de natureza jurídico-legal e da correspondência em geral;

d)     Transcrever e assinar as atas das reuniões da Diretoria Executiva e das Assembléias Gerais;

e)     Procede à leitura das atas expedientes

4- Ao Segundo Secretário compete:

a)     Auxiliar o primeiro secretário em suas funções

b)     Organizar a secretária

c)      Providenciar a afixação, nos quadros de avisos, de editais comunicados, ofícios e assuntos de interesse geral;

5- Ao primeiro Tesoureiro compete:

a)     Zelar pela arrecadação da receita e ter, sob a guarda e responsabilidade, todos os valores pertencentes ao CAHIS;

b)     Realizar as despesas autorizadas pela Diretoria Executiva, assim como os respectivos pagamentos;

c)      Assinar, juntamente com o presidente, as ordens de pagamento de despesas e cheques bancários;

d)     Organizar o Balancete Anual com demonstrações de contas, apresentando a Assembléia Geral Ordinária, através do Presidente;

6- Ao segundo Tesoureiro compete:

a)     Auxiliar o primeiro tesoureiro em suas funções

b)     Fazer a escrituração dos livros na Tesouraria

Único: O presidente e o Tesoureiro são os responsáveis diretos pela área administrativa e financeira do CAHIS, assim sendo, assinam conjuntamente documentos na área financeira inclusive abertura de conta bancária e assinatura de cheques; A diretoria é um órgão colegiado que delibera por maioria simples de seus membros;

 

Seção III – Conselho Fiscal



Escrito por cahisufsj às 00h23
[] [envie esta mensagem
] []





Art.16: O conselho fiscal do Centro Acadêmico de História é formado por três membros e a ele compete:

a)     Supervisionar e auxiliar a diretoria executiva;

b)     Substituir os tesoureiros, secretários, quando solicitados pelo Presidente;

c)      Fiscalizar os documentos do Centro Acadêmico denunciando qualquer irregularidade;

d)     Aprovar os planos orçamentários e demonstrativos da despesa e receita;

e)     Convocar novas eleições, o caso de destituição da chapa em gestão;

Único: Após a eleição será convocada uma Assembléia Geral para a escolha do conselho fiscal.

 

Capítulo IV – Eleições

Art.17: A eleição do CAHIS será realizada a cada ano, sendo dirigida por uma Comissão Eleitoral

1° - a Comissão Eleitoral deverá ser formada por três membros do curso convocados em Assembléia Geral. Junto a esse serão escolhidos no dia da eleição um fiscal apontado por cada chapa concorrente, para assim evitar irregularidades

2°- No caso da chapa única, a eleição também será realizada pela Comissão Eleitoral.

3°- A comissão será convocada,15(quinze) dias corrido da realização da eleição, e caberá a eles fazer a apuração de votos.

4°- Em caso de não formação de comissão, será escolhido um representante de cada chapa concorrente.

5°- Caberá a Comissão Eleitoral fixar data e horário para a abertura e encerramento das inscrições das chapas,bem como data e horário  para  a votação e apuração dos votos fazendo a devida divulgação.

6° - Qualquer irregularidade constatada pela Comissão Eleitoral no decorrer da Eleição,deverá ser resolvida pela mesma.

7°- A Comissão Eleitoral deverá colocar no local da votação, uma lista com os nomes dos membros de cada chapa.

8°- A Eleição para o membro do colegiado poderá ser feita juntamente com a eleição da Diretoria.

9°- As eleições ocorrerão de acordo com o período letivo.

10°- As Eleições serão realizadas até 2(dois) meses depois do ínicio das aulas;

 

Art.18: A inscrição será feita por chapa

Único: O encerramento das inscrições das chapas deverá ser, no mínimo, de 5 dias corridos antes das eleições.

Art.19: É permitida a reeleição de qualquer membro da chapa atual

Único: Não poderá ser membro-delegado do Centro Acadêmico de História, caso o mesmo participar da Diretoria Executiva do Diretório Central dos Estudantes(DCE).

 

Art.20: Será eleita a chapa que obtiver o maior número de votos em relação a cada uma das demais, ou caso for chapa única, que tenha a meta mais um dos votos em relação ao número de presentes às eleições

1°- Não haverá exigência e quorum mínimo nas eleições

2°- Em caso de empate nas Eleições, a Comissão Eleitoral deverá realizar eleição suplementar apenas com as chapas que estiverem empatadas.

 

Art.21: A votação será em cédula único, e em escrutínio secreto.

1°- Serão anuladas as cédulas que tiverem rasuras ou qualquer outra irregularidade apontada ela Comissão Eleitoral.

2°- Não serão permitidos votos por procuração

 

Art.22: O período de cada gestão será de um ano, partir da data de posse.

Capítulo V – Patrimônio

Art.23: O patrimônio da entidade e constituído pelos bens que possui e por outros que vier a adquirir, cujos rendimentos serão aplicados na satisfação de seus encargos.

 

Art.24: A receita da entidade deverá ser constituída por:

a)     Doação e legados;

b)     Rendas auferidas nos seus empreendimentos;

c)      Quaisquer outros meios admitidos em lei

 

Art.25: Em caso de dissolução do CAHIS, ficarão sob tutela da UFSJ e do conselhor de Centros Acadêmicos do DCE os bens, até que venham a ser solicitados por estudantes da UFSJ que se congregam em associações sob o nome de Centro Acadêmico ou Diretório Acadêmico.

 

Capítulo VI – Reforma do Estatuto

Art.26: No caso de reforma total, será eleita uma comissão para elaborar um projeto que, depois de divulgado, terá trinta dias para receber emendas.Será submetida, então, a apreciação da Assembléia Geral, que decidirá  pelo voto da maioria absoluta dos presentes.

Art.27: No caso de reforma parcial, a mudança do estatuto deverá ser realizada pela Assembléia Geral, que decidirá pelo voto na maioria absoluta dos presentes conforme artigo 13°, parágrafo único e artigo 14°, parágrafo único.

 

Capítulo VII  - Disposições Gerais

Art.28: Os sócios não respondem, nem mesmo subsidiariamente, pelas obrigações que a diretoria contrair em nome do Centro Acadêmico.

Art.29: Os diretores são pessoalmente responsáveis pelas obrigações que contraírem em nome do Centro Acadêmico, em virtude do ato regular da gestão

Único: Havendo má fé no que diz respeito às disposições gerais, artigo 28 e 29, os envolvidos serão responsabilizados pelo ato, cabendo à assembléia geral decidir sobre a pena

 

Capítulo VIII – Disposições Transitórias

Art.30 - O Presente Estatuto entrará em vigor na data de sua aprovação

Art.31- A diretoria deverá imediatamente após a aprovação do presente Estatuto, providenciar sua divulgação, bem como seu registro.

 

 

São João Del Rei, 11 de Abril de 2007

 



Escrito por cahisufsj às 00h18
[] [envie esta mensagem
] []





Jornal da FEMEH


Saiu a segunda edição do Jornal da FEMEH (outubro/09).


Essa edição conta com textos sobre:

- Histórico da FEMEH;

- Avaliação do ENEH 2009;

- Relato de uma escola: o que está acontecendo na UFPR;

- Discussão sobre opressões.


Segue o link: Jornal da FEMEH - Ano I, nº 2, Outubro/2009




Escrito por cahisufsj às 22h11
[] [envie esta mensagem
] []





AVISO


O CAHIS informa que já estão disponíveis os certificados de ouvinte da VIII Semana de História.

 

Procurar na sala do CAHIS (3.61) ou com algum dos membros da diretoria.



Escrito por cahisufsj às 00h34
[] [envie esta mensagem
] []






EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA AS ELEIÇÕES DO CENTRO ACADÊMICO DE HISTÓRIA


A comissão eleitoral, no uso de suas atribuições faz saber através do presente Edital que estão convocadas as eleições para a escolha da próxima diretoria do Centro Acadêmico de História da Universidade Federal de São João del-Rei, conforme itens abaixo especificados:

 

Art. 1º Como aprovado em Assembléia Geral, ocorrida no dia 22/09/09, a comissão eleitoral é composta pelos acadêmicos: Carlos Rocha, Lidiane dos Santos e Henrique Dumont.

 

Art. 2º Os estudantes de História da UFSJ regulamente matriculados que desejarem concorrer à diretoria do CAHIS deverão se organizar em chapas.

 

§ 1º As chapas candidatas deverão ser compostas por um número mínimo de 6 pessoas. Sendo os cargos a serem ocupados: Presidente, Vice-presidente, 1º Tesoureiro, 2º Tesoureiro, 1º Secretário, 2º Secretário. Podendo-se criar novos cargos de acordo com a necessidade de cada gestão.

 

§ 2º As chapas deverão registrar suas candidaturas com qualquer dos membros da Comissão Eleitoral.

 

 

Fica estabelecido o seguinte cronograma para o processo eleitoral

 

I – Até o dia 02 de outubro de 2009 serão recebidas as inscrições das chapas candidatas;

 

II – No dia 05 de outubro serão divulgados os resultados quanto à homologação das inscrições de chapas;

 

III – No dia 05 de outubro será realizada na sala do CAHIS (3.61) para definir a estrutura do debate (em caso de duas ou mais chapas) ou apresentação (em caso de chapa única);

 

IV – No dia 06 de outubro será realizado o debate, ou apresentação, na sala 3.34, às 20:30 horas;

 

V – No dia 07 de outubro será realizada a eleição, das 19:00 às 22:00, com votação sendo realizada na sala do CAHIS (3.61)

 

VI – No dia 07 de outubro será realizada a apuração dos votos, logo após o encerramento da votação.

 

 

 

São João del-Rei, 28 de setembro de 2009.

 

Comissão Eleitoral - 2009

 



Escrito por cahisufsj às 23h59
[] [envie esta mensagem
] []





Blogs de História... ...mas não só

 

Saudações!

 

Estamos aqui para dar dicas de dois blogs de famosos historiadores do Brasil colonial: Luiz Felipe de Alencastro (autor de “Trato dos Viventes” - professor de História do Brasil na Universidade de Paris-Sorbonne) e Mary del Priore (professora da Universidade Salgado de Oliveira e vencedora do Prêmio Jabuti)

 

Além, obviamente, de postagens riquíssimas sobre História, ambos os blogs estão recheados de discussões contemporâneas sobre, política, cultura, sociedade, etc. Tudo com muito conteúdo.

 

 

Sem mais delongas, os links:

 

Sequências Parisienses, de Luiz Felipe de Alencastro:

http://sequenciasparisienses.blogspot.com/

 

 

Blog de Mary del Priore:

http://marydelpriore.wordpress.com/

 

 

Boa leitura!

 



Escrito por cahisufsj às 00h09
[] [envie esta mensagem
] []





CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLÉIA GERAL

 

O CAHIS convoca os estudantes do curso de História para participarem de Assembléia Geral, no dia 22/09 (terça-feira) às 20 e 30h na sala  3,52, com o seguinte ponto de pauta:

 

 

·         Formação da comissão eleitoral


____________________

Carlos Guilherme Rocha

Tesoureiro

 



Escrito por cahisufsj às 10h33
[] [envie esta mensagem
] []





 

Saudações Pessoal !

Estamos comunicando mais um Workshop que será realizado dia 4 de junho de 2009 (quinta-feira) na sala 3.50 ( sala do 7° período). A aluna que apresentará o trabalho será Kellen Cristina Silva. Prestigiemos o trabalho de nossa colega. Eis o resumo do trabalho a ser apresentado abaixo:

 

 “A arte como fonte histórica”

Justificativa

            O presente projeto tem a finalidade de fazer uma junção da História Cultural e da História da Arte pelo viés da Iconologia defendida pela Escola Iconológica alemã de Aby Warburg. O historiador da Arte Aby Warburg estabeleceu uma forma de se aproximar as duas ciências no campo cultural, construindo um saber de mão dupla, onde a arte, nesse caso as imagens, seria uma fonte sui generis para a construção da história, mas também poderia ser usada como um complemento das fontes já existentes sobre um determinado tema. Erwin Panosfky, discípulo de Aby Warburg, concretizou a Idéia de seu mestre criando a Teoria Iconológica, onde a História e a História da Arte se uniam, finalmente, pelo viés do cultural.

            Partindo da Teoria de Panosfky, que divide o olhar do pesquisador em três etapas[1] e com os recursos de outras fontes historiografias, é possível traçar um perfil de dada sociedade através das suas representações imagéticas. A finalidade deste Workshop será demonstrar como esses princípios de analise iconográficos podem ser frutíferos para a construção de um saber Histórico mais dinâmico e completo.

 

Metodologia

            Primeiramente, o workshop trará uma introdução rápida, mas concisa sobre os caminhos que levam o historiador a procurar por outras fontes, e o porque da escolha das imagens como um recurso de análise. Durante essa introdução vamos apontar mitos sobre o uso inadequado da imagem, tentando quebrar certos preconceitos da História em relação a interdisciplinaridade com a História da Arte.

Em um segundo momento, para se compreender a especificidade do uso das imagens, é necessário o uso do “data show”, onde as fontes poderão ser apreciadas e lidas através dos mecanismos teóricos de Panosfky, que vão ser incutidos durante a apresentação das imagens e com a participação dos alunos.

Posteriormente, depois da análise em conjunto da Iconologia, vamos abrir para um debate sobre o tema, procurando tirar dúvidas sobre o tema e exemplificando com trabalhos históricos, o uso importantíssimo da imagem como compreensão da História.

 

 

Bibliografia:

BLOCH, Marc. Apologia da História – ou o ofício do Historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.,2001.

BOSCHI, Caio César. Os Leigos e o poder. São Paulo: Ática, 1986.

BURKE, Peter. Testemunha Ocular: História e Imagem. Bauru, SP. EDUSC, 2004.

COCHIN, Charles-N. / GRAVELOT, Hubert-F. Iconología por figuras o tratado completo de alegorias, emblemas, etcétera. Santa Fé: Universidad Iberoamericana, A. C., 1994.

CUNHA, Maria José Assunção da. Iconografia cristã. Ouro Preto: UFOP/IAC, 1993.

DUCHET-Suchaux, G. / PASTOUREAU, M. The Bible and the Saints. Flammarion Iconographic Guides. Paris /Nova Iorque: Flammarion, 1994.

HALL, James. Dictionary of subjects and symbols in ArtNova Iorque: Harper Collins Publishers, 1979.

KNAUSS, Paulo. O desafio de fazer História com imagens: arte e cultura visual, ArtCultura, Uberlândia, V.8, N.12, , Jan-jun. 2006.

1975GIZBURG, Carlo.  Mitos, emblemas, sinais – morfologia e história, Sao Paulo: Cia das Letras, 1989

PANOSFKY, Erwin. Significado nas Artes Visuais. São Paulo, editora Perspectiva, 1979.

SCHMIT, Jean-Claude. O corpo das Imagens. Bauru, São Paulo: EDUSC, 2007.

 

 

 



[1] A teoria iconológica de Panosfky se divide em três etapas: O Conteúdo temático natural, onde a análise se dá de forma direta, apenas reconhecendo os elementos presentes em uma determinada fonte imagética, a segunda fase se denomina Conteúdo secundário ou convencional, onde todos os elementos presentes na fonte são decodificados , sendo necessário o conhecimento do pesquisador em várias outras fontes, tanto históricas como literárias. Na última fase da teoria de Panosfky é que se dá a junção com a história cultural, pois o Significado Intrínseco da obra é subtraído da imagem. Vai ser nessa fase que será revelada todas “As atitudes básicas de uma nação, época, uma crença religiosa ou filosófica” (PANOSFKY, Erwin. Estudos de Iconologia Pag. 22).



Escrito por cahisufsj às 17h08
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]